27 de jan de 2012

O Dia 25, um resumo.



Começou cedo no aniversário de SP. Estavam programadas 6 aberturas ao longo do dia. O primeiro movimento não era exatamente uma abertura de exposição, mais uma ação do coletivo Galeria Experiência em parceria com o projeto Rio e Ruas do José Bueno, acima. As 9h30 da manhã cerca de 50 pessoas estavam unidas para percorrer o Rio Verde para a colagem do lambe lambe “Aqui passa o Rio Verde”. O rolê foi até por volta do meio dia. 
Logo mais às 15h o espaço Canon abriu para a exposição do Otto Stupakoff batizada Early Works. Nas paredes da galeria do número 207 da rua Aspicuelta, 10 fotos do primeiro portfolio do precursor da moda no país datadas de 1957 a 1963. As 10 imagens expostas foram gentilmente autorizadas pelo Instituto  Moreira Sales [IMS]. Agradecemos imensamente a equipe do Sérgio Burgi e também o Thyago Nogueira, editor da revista ZUM, nosso novo parceiro. No andar de baixo da galeria, até sábado, dia 28 e no próximo final de semana, a Canon printa sem custo uma imagem por fotógrafo e promove uma limpeza gratuita no equipamento apenas daqueles que usam Canon. Leve um pendrive e a câmera saia com uma impressão incrível e o seu equipamento zerado. Pelo espaço Canon no dia 25 passaram cerca de 1000 pessoas entre 15h e 19h. Começou antes do previsto e terminou bem depois.
A loja do Ronaldo Fraga reagiu diferente à Mostra. Um entra e sai de gente a partir das 17h, um fluxo legal de pessoas foi até o aprazível quintal do Ronaldo ver o caderno de polas do Vainer. O Espaço Ophicina não deu conta de tanta gente para a mais ou menos inédita do Walter Firmo, especial para a terceira edição da Mostra. O mestre esbanjou carisma. É um gênio da fotografia e da simpatia. Lá pelas 19h, 100 metros mais para baixo na Aspicuelta o Armazem Piola estava aguardando o público para a coletiva da Veja SP. A revista da cidade apresentou 13 imagens curadas por mim e pelo Armando Prado. Muito bem ampliadas e expostas esta exposição que tem texto de abertura assinado pelo Thomas Souto Correa. Bombou! Em frente ao bar Posto 6, além da exposição InstaSampa aberta a todos os “junkies” em Instagram, projetamos o filme oficial da 3a. Jameson Mostra SP de Fotografia. Trabalhos de diversos autores como Ricardo Barcellos, Danilo Verpa e Leo Wen, uma coletiva do blog Olhavê, Jonas Tucci, Alberto Sodré, outra coletiva Sambaphoto… um filme com uma pegada muito boa de edição do Felipe Abreu, publisher da revista OLD. Bem, no Posto 6 o bicho pegou, São Paulo passou por lá. Quem não foi ou estava viajando ou com febre alta. O roteiro era entre a Galeria Ímpar e o Posto 6 e vice versa. Um pra lá e pra cá sem fim e muito legal.  
Meus caros amigos, nós da Mostra agradecemos a boa energia de todos vocês que fazem da fotografia de São Paulo algo especial. A 3a. Jameson Mostra SP de Fotografia segue na Vila Madalena até o dia 19 de fevereiro. Acompanhem por aqui as ações paralelas, as conversas guiadas, os pequenos eventos que acontecerão até o dia 19. 
A maioria das fotos abaixo foi feita pelo Henrique Tarricone, cara gente boa e que trabalhou muito bem, pelo prazer em participar. FCN.

     Posto 6, 22h13, casa cheia.

    A coletiva da Veja SP no Armazém Piola também levou muita gente até o bar.

     Carlos Dadoorian na Galeria Ímpar, 21h13. Responsa.


    Ao mestre com carinho. Walter Firmo, Espaço Ophicina.



As polas maravilhosas do Vainer estão na parede do...

     ... Ronaldo Fraga.



    Um ensaio sobre o Joquei Clube do fotógrafo Jaime Scatena.

    Roberto Linsker de olho no Mapa da Mostra SP de Fotografia.

    A instalação do Alê Jordão teve a participação genial do Vik Meirelles. Este fusca está morando em                  frente ao restaurante Leoncio, na Girassol...

                               ... este outro no Beco do Batman.

    Pietro Ghiurghi com a imagem da Vila Madalena em 360 graus na loja Agá.

    Leo e Paulo do Garapa 'deslocaram' na Zona Oeste. Mais exatamente na Aspicuelta, 673.


    Na loja Farm as guaritas do Felipe Russo. E a água começou a cair...

     E o Rio Verde se manifestou, Kosuke estava lá...

                        ... e o Beco virou leito.

     Quando estiou a rapaziada da Cia de Foto apareceu.


     No restaurante Rothko, JR Duran, Paulo Miklos, Zé Simão, Edgard Scandurra ainda com cabelos pretos... nas polaróides originais e de época do Elisabetsky e... o Kosuke estava lá de novo.

    Os carros abandonados do Felipe Bertarelli estão no Delices de Maya, na Baixa Vila Madalena. É um trabalho fotográfico incrível. E almoço idem.

    Como definiu Alexandre Belém, 'carros descansando' do Na Lata. Esta exposição é no Prima Bruschetteria.


     Juan Esteves assinou o texto da exposição do Otto Stupakoff e fotografou SP com seu celular. As fotos PB estão no Martin Fierro.

     O sobe e desce na Aspicuelta. Nosso amigo Iatã Cannabrava foi com o filhotinho ver o que estava acontecendo na tarde de verão.

    O trabalho do Felipe Morozini foi todo impresso em lambe lambe. Nas paredes do Madeleine, da Namidia...

    ... e Espaço Canon. Três fotonas lindas no meio da rua.

    Nas paredes brancas da Fahrer Lucas Lenci, Lufe Gomes, Vania Toledo e Cristiano Mascaro.

    O único trabalho que não retrata São Paulo é o de Anderson Schneider. Anderson foi convidado para a 'sala' Outra Metrópole e apresenta o ensaio Brasília Concreta.
    O culto à Otto Stupakoff. Cerca de 1000 pessoas passaram pelo Espaço Canon no dia 25.

    Armando Prado comenta a exposição de Otto Stupakoff...

     ... E no andar de baixo...

    A Canon atende até o dia 28 e no próximo final de semana.

2 comentários:

  1. http://mostrasaopaulodefotografia.blogspot.com/2012/01/o-dia-25.html?showComment=1327672899623#c8844448530366593672

    Muito boa essa foto, ainda que o fot
    ógrafo apareca

    ResponderExcluir